Arte namoradas

Minha namorada está vendendo artes digitais, caricaturas no estilo cartoon. Ajudem por favor !

2020.11.20 03:20 Gui02_ Minha namorada está vendendo artes digitais, caricaturas no estilo cartoon. Ajudem por favor !

Minha namorada está vendendo artes digitais, caricaturas no estilo cartoon. Ajudem por favor ! submitted by Gui02_ to brasil [link] [comments]


2020.10.21 06:41 theInjusticeamongus Era uma vez...uma internet sem velhada!

Eu ainda sou do tempo em que a internet era uma espécie de submundo. Um escape. Apenas os mais jovens a usavam, pouca gente a tinha instalada em casa, e ficar online, nem que fosse só por 1 horinha, dava uma pica do caralho. Era o ponto alto do dia de qualquer criança e adolescente, desfrutar da sua horinha diária de conexão. Sim, porque era caro. 1 horinha por dia ficava-te aí nuns 20 euros por mês. Não tenho bem certeza, pois não era eu que a pagava. A velhada mal sabia o que era a internet, portanto tava-se bem. Não tinhamos de ter cuidado com o que publicávamos, nem tinhamos de ler o que o gang do AVC pensava. Era uma época em que os reumatoides guardavam o lado mais sombrio dos seus pensamentos para eles mesmos. Não te podiam convidar para jogos do facebook, e tava-se bem.

Este post vai ser um pouco longo. Espero que não se aborreçam. Talvez sirva para dar a conhecer algo de novo aos mais jovens, e ajudar os mais old school a recordaros bons velhos tempos. Se possível, partilhem também experiências que tenham tido quando a internet ainda era um dinossauro.

Internet nas escolas

As escolas têm computadores com ligação à internet desde inícios e meados dos anos 90. Nos intervalos podias utilizá-los. Essa utilização consistia em fazeres uma pesquisa random num motor de busca. "Tartarugas ninja", por exemplo. Depois vias as fotos. Sem supervisão parental, pesquisavas porno. Mas basicamente era isso. Não havia mesmo muito para fazer.

Lentidão

Havia horas em que a internet não se mexia. Dependia muito da quantidade de pessoas online. Tinhas de ser estratégico. Se fosses às 9 da noite, por exemplo, podias ter de esperar 15, 20 minutos para carregar uma simples página web. Um download de 5 megas levava facilmente meia hora, e era se a net estivesse boa. 5 megas era mais ou menos uma música.

Antes do Google

Google não existiu até 98, e mesmo a sua popularidade só veio mais tarde. Portanto, aí até 2000 o que se usava era o Altavista. Yahoo também era muito popular, e em Portugal os preferidos eram o Sapo, Aeiou e Clix, para tudo, mesmo pesquisas.

Antes do Youtube

Sinceramente, eu só soube o que era streaming aí por volta de 2004. Ir a um site e ver videos online não era prática comum. Nem havia nada que fosse muito popular. Pelo menos que me lembre. O Metacafe era o mais conhecido. Era tipo Youtube, mas muito menos popular. Portanto, não havia nenhum site deste género que toda a gente usasse . Dailymotion também tornou-se popular durante um curto período de tempo. Mas ainda hoje o utilizo para encontrar videos que o Youtube remove constantemente. Aconselho a toda a gente.

Porno

Nos anos 90 era mesmo só ir a sites tipo o da Playboy e ver gajas nuas. Resumia-se a isso. Fotos de gajas. Não se usava cá sites com vídeos. Víamos umas mamas e estava a andar. Naquela época ver mamas era de loucos. Acho que hoje em dia para sentires a emoção de ver mamas na internet nos anos 90 terias de encontrar um OVNI com ET's lá dentro. A banalização matou muitas emoções.
Depois em inicios de 2000's o que havia era sites tipo pornhub, mas com clips super curtos. 30, 40 segundos. Se algo te captasse a atenção depois tentavas sacar os filmes inteiros.

eMule

Era o que se usava para sacar merdas. Basicamente, colocavas um filme a sacar hoje, com alguma sorte para a semana estava completo. Mas isto já é mais recente. Em Portugal usou-se muito entre 2004 e 2006. Nos anos 90 e inicios de 2000 não se costumava sacar cenas. Ocasionalmente alguém partilhava um video num chat ou fórum para um evento ou algo assim, mas pouco mais. Acredito que houvesse forma de se sacar, mas não era comum. Em vez de filmes no disco rigido, tinhas um porta cd's cheio de filmes e pornografia.

Chats Clix e Terravista

Entre finais de anos 90 e inicios de 2000's era o que estava a dar. Não tinhas de te registar, e havia sempre umas centenas de pessoas prontas a conversar. Podias ser uma pessoa diferente todos os dias. O conceito de "catfish" não existia, pois catfishing era a norma. Era bom para o engate e conversas porcas. Proporcionava-nos uma sensação de liberdade. Na altura era tudo muito menos controlado. Não tinhas problemas legais com o que dizias e fazias na net, e nem sequer eras banido. Dificilmente te baniriam do Terravista. Era agradável, mas todos os dias havia alguém que entrava só para dizer algo tipo: "SEUS FILHOS DA PUTA!!!!!!!!!!!!! VÃO PO CARALHO QUE VOS FODA". E como não era banido, ficavas a ver uma conversa amena sobre cursos universitários e lá pelo meio um troll que não parava de insultar toda a gente. Tipo:
User A: Então, e que curso queres tirar?
User B: Estou a pensar em psicologia
Troll: QUANDO EU TE VIOLAR TU É QUE VAIS PRECISAR DE PSICÓLOGO!!!!!!!
User A: Também gosto muito. A minha irmã tirou o mesmo curso. Para que universidade vais?
Troll: ELA VAI PRA UNIVERSIDADE DAS PUTAS AMESTRADAS!!!!
User B: Em princípio universidade do porto. E tu?
Troll: VAIS-TE PROSTITUIR À PORTA DA UNIVERSIDADE DO PORTO, SUA VACALHONA!!
User A: Eu vou para a universidade de Évora

E isto podia arrastar-se durante horas. Era o pão nosso de cada dia.

A primeira vez que falei com alguém online foi no chat de clix. Quando disse "Olá" e do outro lado recebi um "Olá", nem queria acreditar. Fiquei super entusiasmado e respondi "CHUPA-ME O CARALHO, SUA PUTA!". Não fiquem chocados. Eram outros tempos.

Internet Relay Chat

O IRC foi o peso pesado da internet tuga entre 97 e 2005. Era onde existia a maior concentração de Portugueses ao mesmo tempo. Cerca de 30 mil online durante a noite. Era uma rede de chats, com canais sobre praticamente todos os temas. De certa forma era muito semelhante ao reddit, uma vez que qualquer pessoa podia criar o seu próprio canal e tentar torná-lo popular. Depois escolhia os moderadores para o seu canal.
Uma cena interessante do IRC era que poder falar com pessoas online ainda era o primeiro atrativo. A cultura da devassa da vida privada ainda não existia, e o pessoal não andava desesperado por popularidade. A excitação estava em poderes comunicar com desconhecidos. Era uma cena nova, revolucionária. E como não tínhamos o dia todo para estar na internet tentava-se tirar o máximo partido.
Um termo que já foi muito popular, mas agora raramente se usa, é o "blind date". Basicamente, entravas, metias conversa com uma gaja, perguntavas de onde ela tecla e marcavas um encontro para amanhã. Quase sempre sem troca de fotografias. Isto hoje em não acontece.
Foi no IRC que conheci as minhas primeiras namoradas. Nessa altura ainda havia romance online, pois era novidade. Hoje em dia está demasiado banalizado. Já toda a gente experimentou tudo toneladas de vezes e as pessoas tendem a ficar-se mais pelos seus círculos sociais reais, em vez de se aventurarem com desconhecidos.
O IRC era vida. Era tipo guerra dos tronos. Lembro-me de ter feito chantagem com o dono de um canal para ele me passar a administração. Ele fundou o canal, mas eu é que o tornei popular. Ele esteve ausente uns meses, e quando voltou começou a querer impor as ideias dele, e eu fiquei a odiá-lo. Um dia recebi notificação que ele estava online, mas não no nosso canal. Fui ver em que canal ele estava e era o #gayengates. Fiz print e depois fiz chantagem. Tornei-me no lider absoluto do canal. Bons tempos.
No inicio da era da banda larga, como não havia muito para fazer, o comum era o pessoal usar a internet só mesmo para IRC. Basicamente, era só o que fazias. Sempre ligado. Mesmo quando desligavas, podias deixar uma shell do teu nick sempre on, registando todas as conversas. Se soubesses mirc scripting podias até criar bots. Utilizadores fantasmas que estavam sempre on e executavam comandos. Por exemplo, podias escrever, no geral, !tempo, e ele dizia-te o tempo. Ou então !ban zetoy, e ele bania o zé. Era fascinante estar num canal com centenas de pessoas a madrugada toda a trocar mensagens. Mais uma vez, tal e qual como o Reddit. A diferença é que era formato de chat, não de fórum.
Nesta época os chats clix e terravista também eram muito populares, mas o pessoal do IRC era uma beca snob para com o do clix e terravista, pois os do clix e terravista eram os incautos, que nem sabiam o que o IRC era. Eram os chats dos pobrezinhos. IRC era para quem já sabia um bocadinho mais de tecnologia, uma vez que exigia que conhecesses alguns comandos.
O servidor mais popular em Portugal é a PTnet. Já quase ninguém usa isto, sem ser gays. No estrangeiro, no entanto, ainda há servidores com milhões de utilizadores, mas é uma cena mais para programadores. Basicamente, cada servidor era o seu próprio universo de IRC. Tu podias ir a qualquer servidor, mas se quisesses estar no com mais Portugueses era o PTnet.

MSN

MSN era um mensageiro, tipo Skype. O que tinha sempre on era o IRC e o MSN. Geralmente falavas com o pessoal no IRC, e depois trocavam contactos. MSN era mais pessoal. Isto em inícios de 2000. A dada altura toda a gente que tinha internet tinha MSN. Era mais popular do que IRC. Era quase o equivalente a ter whatsapp.

NETMEETING

Era basicamente para bater pivias por webcam e ver mamas. Tipo Skype, mas servia apenas para video. Quando falavas com uma gaja no IRC e querias fazer "sexo virtual", pedias-lhe o netmeeting. Isto foi ainda antes do MSN. É uma merda dos anos 90 e inicios de 2000. Acho que já ninguém usa, a menos que sejam dementes.

TUGA NINJA

Tuga Ninja foi um dos eventos mais entusiasmantes da internet nacional. Era um jogo de porrada no site da CLIX. Tinhas uma sala de chat com muita gente on e desafiavas quem quisesses para um combate. Consoante ganhavas, ias subindo no ranking. Era isso que dava pica, tentar chegar ao topo. Era muito simplório: o adversário decidia como te ia atacar, e tu tinhas de adivinhar a decisão dele e escolher a defesa. O que tornava o jogo especial era a banda sonora dos ENA PA 2000(?) e o design dos personagens, que eram todos caricaturas de diversos espectros da sociedade tuga, como é o caso de taxistas e peixeiras.

HI5

Acho que toda a gente deve conhecer o hi5, e foi quando a internet começou a apodrecer e o IRC começou a morrer, aí por volta de 2005/2006. Tornou-se na rede "mainstream" em Portugal. Mas mainstream na altura não era o mesmo que mainstream agora. Mainstream agora significa que a tua avó usa. Mainstream na altura significava que toda a gente com internet tinha. A título de curiosidade: só aí a partir de 2006 é que internet começou a ser uma coisa que toda a gente tem em casa. Lembro-me de em 2003 só eu e mais duas pessoas na minha turma termos internet em casa. E nos anos 90 então era raríssimo. Geralmente os meus colegas filhos de pais finos é que tinham net. Eu tive aí em 95 pela primeira vez.
O hi5 era muita chunga, mas dava para arranjar umas quecas. Na altura era tudo mais fácil, talvez pela escassez e pela novidade. Conheci muita gaja por aqui, mas tirando isso não há nada de bom a dizer. Era lixo. Curiosamente, o HI5 começou a morrer quando a velhada começou a usar net e a inscrever-se. Depois os jovens migraram para o FB, por volta de 2009, enquanto o HI5 ficou para o reumático. Hoje o FB começa a ser cena de velho e o IG é o alvo de migração dos mais jovens. Daqui a mais 1 anito ou dois os velhos começam a popular o IG e os jovens fogem para outra rede.

Myspace

O Myspace marca a era de ouro das redes sociais. E foi uma era muito curta. Digo de ouro porque ainda não eram bem o cancro que são hoje em dia, e nenhuma rede social dominava TUDO, como acontece com o FB. Na verdade, as pessoas estavam espalhadas por diversas redes sociais, e cada rede tinha uma demografia específica. Também exibiam-se muito menos. Não era fotos nova todos os dias. Frequentemente era apenas uma foto de perfil.
Uma das particularidades do Myspace é que era muito voltado para música. Era a rede que os artistas utilizavam, e podias segui-los. Era uma rede mais "cool", digamos assim.
O Myspace ganhou popularidade em Portugal aí em 2006, e começou a morrer aí em 2009. Não era tão popular quanto o Hi5, mas a demografia era mais interessante. Basicamente, hi5 = tudo quanto é merda e Myspace = pessoal mais interessante, mais dado às artes e intelectualidade. Foi no Myspace que conheci as miúdas mais interessantes da minha vida. Não havia tantas, mas geralmente tinham mais conteúdo. Eram as gajas com quem podias falar de música e cinema.
Nesta época as redes sociais tinham um grau de popularidade perfeito: havia gente suficiente para teres com quem interagir, mas não ao ponto de até a tua avó e o periquito dela estarem presentes. Podias participar sem ter necessariamente de ter todas as pessoas da tua vida adicionadas. Era uma cena mais anónima.

Netjovens

O Netjovens é um bocado mais obscuro, mas durante um curto período gozou de um bom nível de popularidade em Portugal. Penso que o auge foi em 2007, depois foi vendido por 1 milhão de euros. Era uma rede tuga, criada por um só gajo num curto espaço de tempo, e até há uma reportagem sobre a venda:
https://www.youtube.com/watch?v=URJ1-buuScs
Como disse, antes de 2010 as pessoas estavam muito dispersas por diversas redes sociais. Não havia uma força dominante, e tu ias a diversos sites, para diversos tipos de demografia e conversa. O Netjovens era estilo HI5, mas um bocado mais interessante e menos popular. Não tão bom quanto Myspace, mas era mais uma plataforma de caça. Sim, as redes sociais até 2010 serviam para o engate. Era basicamente isso. Agora servem para a auto-promoção.
Confesso que não sei bem o propósito da venda do Netjovens. Que saiba o site morreu. Portanto quem pagou 1 milhão pelo mesmo não sei bem o que dele retirou.

Netlog

Da mesma era do do Netjovens, mas mais chunga. Mais uma vez, era para o engate. Tinha bue jogos, por isso até dava para um gajo se divertir. A qualidade demográfica era semelhante à do hi5, mas menos popular. Destacava-se por ter bue funcionalidades de entretenimento que o hi5 não tinha.

E pronto, depois disto é basicamente o que se vê hoje em dia: FB, Twitter, IG, TikTok. Aquilo que vocês já todos conhecem. A nível profissional tens mais oportunidades, mas no que toca a socialização as novas redes são piores a todos os níveis. Servem para engrandecimento do ego e pouco mais. Perdeu-se a componente da descoberta e interacção social.

submitted by theInjusticeamongus to portugal [link] [comments]


2020.09.29 00:31 altovaliriano Alguns irão preferir o final da HBO (abril/2019)

Neste SSM (So Spake Martin), há dois clipes de uma entrevista de GRRM ao programa "60 minutes" da emissora americana CBS, em que o escritor fala sobre seus livros e sobre o fim de Game of Thrones.
A 8ª temporada da série estrou no dia seguinte a essa entrevista ir ao ar.
O resumo das declarações de Martin é o seguinte:
Link do SSM: Entrevista ao 60 Minutes (13/04/2019)
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.09.13 00:01 _gabrielcortezz VAGA PRA MODERADOR

Bem, sou um toddynho tenho 14 anos e conheço todas as arte manhas de meus companheiros e eu estou disposto a largar minha namorada , amigos,vida social família e escola por este emprego, espero que me aceite neste grande emprego que irá ser de grande importância para meu currículo no futuro. Obs: apesar de toddynho acompanho cs desde 2016 com a lg e sk F. Defeitos: Meu único defeito é acreditar que a mibr ainda irá voltar pro top 1 Qualidades: sou um toddynho esforçado
submitted by _gabrielcortezz to TriboGau [link] [comments]


2020.09.12 22:37 _gabrielcortezz VAGA DE MODERADOR GABRIEL CORTEZ

Bem, sou um toddynho tenho 14 anos e conheço todas as arte manhas de meus companheiros e eu estou disposto a largar minha namorada , amigos,vida social família e escola por este emprego, espero que me aceite neste grande emprego que irá ser de grande importância para meu currículo no futuro. Obs: apesar de toddynho acompanho cs desde 2016 com a lg e sk F. Defeitos: Meu único defeito é acreditar que a mibr ainda irá voltar pro top 1 Qualidades: sou um toddynho esforçado
submitted by _gabrielcortezz to TriboGau [link] [comments]


2020.09.05 04:02 fellaonhrt Minha namorada faz arte digital e tem vergonha de divulgar

Ela começou recentemente (mas já desenhava), ainda não tá no nível que ela faz no papel. Seria muito legal se vocês dessem uma olhada 😁😁😁 https://instagram.com/markhesia?igshid=vn08zrgu6xlr
submitted by fellaonhrt to brasil [link] [comments]


2020.08.21 20:42 AXTUDO ELE FOI NOCAUTEADO COM UM CRUZADO PELA NAMORADA - ARTES MARCIAIS --- Video didático comentando sobre a moça que nocauteou o namorado com um cruzado. Nunca subestime ning... --- #mestre_wesley_gimenez

ELE FOI NOCAUTEADO COM UM CRUZADO PELA NAMORADA - ARTES MARCIAIS --- Video didático comentando sobre a moça que nocauteou o namorado com um cruzado. Nunca subestime ning... --- #mestre_wesley_gimenez submitted by AXTUDO to u/AXTUDO [link] [comments]


2020.08.17 06:56 chmnk Eu só não me mato porque eu tenho medo.

É isso. Tenho medo do fim.
Mas o que tem de errado com a minha vida, eu me pergunto toda vez. Não sei ao certo. Para alguns pode ser muito, e para outros pode ser nada.
Em resumo tudo sempre esteve ruim, mas eu sempre ignorei. Finjo que as coisas melhoraram. Faço isso com música ultimamente, ela tira a atenção dos meus pensamentos.
É clichê mas não me acho bonito, não tenho amigos, não consigo fazer novos amigos, não tenho namorada(o), meus pais são preconceituosos, não sou hétero, minha arte é ruim, e mesmo se fosse boa ninguém se importa. E tudo isso está reprimido, ignorado, por anos. Confusão mental.
Além disso provavelmente tenho depressão e ansiedade, e nesses tempos não tem sobrado dinheiro pra psicológico nem nada...
As vezes me perguntam na faculdade o que eu quero do futuro, eu realmente não sei. A muito tempo estou só levando as coisas. Objetivos de vida só deixam ela mais sem sentido.
E isso parece ser ridículo, nem é tão sério ou importante. Mas então porque eu não paro de pensar nisso? Sou bem privilegiado em algumas coisas, mas os problemas sempre ficam visíveis não importa o quanto eu tente os esconder. Parece que estou pisando em um prego cada passo que dou, mas estou dando esses passos na Islândia (ou em algum outro lugar incrível).
Não sei se dá para entender.
As vezes só quero gritar, mas não consigo. Me sinto fraco, irrelevante, sozinho.
Hoje tive esperança de um futuro melhor, passei por um momento bonito. Mas eu sei que essa sensação é falsa (no mínimo passageira) os problemas ainda estão aqui.
E eu vou continuar os ignorando até algum dia criar coragem de enfrentar a incompreensível inexistência?
submitted by chmnk to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 23:54 _lemonpledge_ Como arranjar amigos e namorada?

Boa Noite
esse sera o meu primeiro post em portugal reddit e eu preciso de ajuda para mim como fazer amigos e arranjar uma namorada eu vou falar sobre isso
eu Tenho 18 anos,faço 19 em duas semanas,sou autismo,ja acabar os estudios,agora tou fazer planos para ir escola profissional de tomar estudar informatica,agora vou explicar a minha vida
eu nao tenho amigos para ir sair para curtir desde no primeiro ano ate final do ano de turma mais eu tenho 3 amigos mais sao miudas a beatriz (a minha colega de infancia e ines verdasca (minha amiga colorida) e outra a amiga de online adelia (uma americana que e uma lesbica e tinha uma namorada ha 1 ano chamada sara mais acabar-se porque elas na encaixava muito bem) mais as duas nao pode sair para curtir porque beatriz tem amigos,ines verdasca tem um namorado mais nao pode ir sair para curtir comigo
na naquela altura eu tinha uma amiga que brincam comigo na casa da minha mae em cima no verao 2005 or 2006,depois minha amiga foi embora e nunca mais vi a minha amiga,e ficar sem uma amiga para brincar comigo
mais infeliz tente fazer amigos na escolas escola antonio torrado e escola dr manuel fernandes em abrantes mais nao conseguir eu tente mais sem sucesso
agora eu vou fazer e falar o amor,infeliz eu nao tinha uma namorada,nunca beijar,nunca abraçar mais eu tinha um crush na colega da escola chamada mariana marques no 5 ano ate 6 ano e ter fazer a mariana marques ser minha namorada no 10 ano,mais 2 dias depois ela rejeitou me,porque eu era timido e calmo,eu sou fora de sua liga dela,e ela quer o boy da mesma liga dela,e ficar triste mais eu tinha calma 3 semanas depois
agora a unica que eu tenho sentimentos pela ela era a ines verdasca,eu estava aproximado pela ela desde no segundo ano da artes e espetaculo,mais eu esteve quase para falar com ela para ir um encontro,fazer a ines ser minha namorada,mais ela deixou na minha escola para ir em tomar,eu chorei muito e ficar deprimo ja 4 semanas,infeliz ela gosta de mim como amigo,mais as coisas ficam melhor mais aindar ter sentimentos pela ela,mais um dia eu tenho de muita certeza que ines verdasca sera minha namorada,e ca espero que sim
eu nao sei mais como que foi arranjar amigos e uma namorada por favor algum perguntas como que eu foi fazer
submitted by _lemonpledge_ to PastaPortuguesa [link] [comments]


2020.05.23 11:45 ManecPierce Eu não aguento mais ser uma decepção mas não consigo mudar

Essa é a primeira coisa que publico no reddit, eu sempre via aqui mas jamais criei uma conta, porém, eu sinto que era necessário agora, já que aqui nenhuma pessoa que eu conheço pode me encontrar, e eu não quero preocupar nenhum deles.
Eu não aguento mais ser uma decepção para as pessoas, e eu não aguento mais que finjam que eu não sou. As pessoas não me dizem diretamente que se cansaram de mim, mas eu posso perceber isso pelo jeito que mandam mensagens e que a maneira como me ignoram quando eu tento falar algo em algo que eles postaram. Eu sinto que todos só me aguentam porque não querem me magoar e porque eu sou extremamente instável e todos sabem muito bem disso, isso é algo que eu sempre tive inseguranças sobre, qualquer coisa que dê minimamente errado já é o bastante para que eu me estresse totalmente e já comece a sentir o desespero tomando conta do meu corpo e eu odeio isso. Eu odeio ter ansiedade e eu odeio a sensação de perigo que eu sinto toda hora quando estou com outras pessoas.
Quando eu era uma criança ainda, eu era uma pessoa extremamente sociável, eu me imaginava no futuro como alguém com muito poder, dinheiro e beleza, mas agora que cheguei na idade em que eu me imaginava antigamente eu percebo a criança idiota que eu era. Eu não tenho beleza nenhuma, na verdade, eu até tenho medo de postar qualquer foto minha na internet, eu tenho medo de que alguém pegue uma foto minha e diga a todos o quão horrível eu sou, eu não quero que zoem da minha cara por causa de algo que eu odeio em mim mesmo. Eu sinto que meus amigos todos sentem nojo de mim por causa da minha cara, eu acho que sempre que me veem ou veem que chamei eles, eles devem pensar " nossa, o que essa pessoa idiota quer comigo dessa vez? " e por causa disso eu não tenho coragem de chamar eles, eu sou um completo covarde com medo de tudo a minha volta.
Eu sinto que nada que eu faço será bom, eu sinto que tudo que eu já fiz ou farei no futuro será sempre o mesmo: Mediano. Não importa o quanto eu me esforce e não importa quanto tempo eu gaste treinando, eu jamais serei bom o suficiente pra me colocar aos pés daquelas pessoas que me inspiram. Eu sou uma pessoa que pratica diversos tipos de arte ( Toco instrumentos, desenho e escrevo ), mas eu não acho que qualquer coisa assim seja o bastante para que eu possa mostrar aos outros e eu não gosto de nada do que eu faço, e isso me mata por dentro, porque eu tento fazer várias coisas ao mesmo tempo para me sentir minimamente interessante, mas eu no final acabo só ficando extremamente cansado sem evoluir nada.
Algumas pessoas dizem que eu sou esperto, dizem que eu sou uma pessoa empática e que eu sou talentoso, e eu sou realmente grato a todas essas pessoas, porém, eu não consigo acreditar no que elas dizem, meu cérebro está sempre me dizendo que eu não mereço o que tenho, e que eu não devo confiar nas pessoas porque elas só estão comigo para poderem zoar da minha cara no futuro, e isso faz eu me afastar daqueles que se preocupam comigo. Eu não consigo manter amizades porque eu sinto que estou sempre atrapalhando alguém.
Chegou num ponto que eu sei que algumas pessoas falam mal de mim, mas eu não consigo me afastar deles porque eu tenho mais medo de ficar sozinho do que continuar nessa amizade onde a pessoa fala mal de mim aos verdadeiros amigos dela. Eu não aguento ficar sozinho, eu não sei se é algum trauma meu porque passei minha infância todo isolado depois que minha prima espalhou boatos pela escola inteira e fez com que se afastassem de mim, ou eu não sei se eu me sinto assim porque na minha infância toda meus pais mal ficavam em casa, mas eu tenho um medo enorme de ficar sozinho. Meu maior medo é morrer e ninguém se importar com minha morte, eu tenho medo de só ser uma pedra no sapato de todos a minha volta.
Eu não consigo desabafar tudo o que eu sinto para ninguém, nem menos para minha namorada. Eu não quero deixar as pessoas pessimistas, e eu não quero que se preocupem comigo, eu quero que tudo se resolva sozinho mesmo que eu saiba que nunca irei conseguir melhorar. Eu tenho de fazer tratamento psicológico, mas eu já fiz terapia por 1 ano inteiro em 2018 e eu não gostei, então menti para o psicologo para que ele me desse atestado logo, eu me sinto sufocado quando tenho de falar o que sinto ou quando tenho de falar dos meus problemas aos outros, e então eu minto a eles e a mim mesmo que estou bem.
Eu já tentei me matar há alguns anos atrás, em 2016 e em 2017 que foram anos horríveis para mim, mesmo que hoje em dia eu não tenha tentado mais, os pensamentos sobre como seria se eu me matasse não param. Eu sinto que talvez se eu morrer de vez tudo irá se resolver e eu não terei mais de me preocupar com nada.
Eu não tenho depressão e nem ansiedade diagnosticados, mas eu sei que não estou normal, sei que o jeito que eu me sinto todos os dias não é normal, e isso me preocupa, mas eu não quero ter de falar isso pra ninguém e ver os olhares de decepção deles para mim, já que isso seria só mais um problema que eu daria a eles.
Eu não sei o que fazer.
submitted by ManecPierce to desabafos [link] [comments]


2020.04.24 03:28 artedaconquista ARTE DA CONQUISTA - Trai minha namorada com a amiga dela

ARTE DA CONQUISTA - Trai minha namorada com a amiga dela submitted by artedaconquista to u/artedaconquista [link] [comments]


2020.03.19 23:54 Heavy_Hammer Dúvida aos entendedores sobre contrato de Aluguel

É a minha primeira vez fazendo um contrato de locação de um imóvel. Estou muito feliz pois finalmente estou deixando uma república para alugar um ap com a minha namorada.
Entretanto, nessas horas a emoção e o ímpeto devem ser deixados de lado e alguns cuidados devem ser observados, ao começar pelo contrato de aluguel.
Como nós não temos fiadores, vamos fazer o depósito caução. A imobiliária está nos cobrando o valor do aluguel + condomínio + IPTU por três meses, mas a lei do Inquilinato no Art. 38 diz que A caução em dinheiro, que não poderá exceder o equivalente a três meses de aluguel.
Eu estou certo em contestar isso? Eu adicionei uma clausula no contato dizendo:
§ 2º - Ao termino do contrato e na ausência de penalidades, inadimplência ou multas contratuais, o valor será devolvido integralmente aos LOCATÁRIOS em até 5 dias úteis após o termino da vistoria de devolução no imóvel.
Posso fazer isso? Dessa forma eu garanto que o dinheiro volta.
Aproveitando o tópico. Existe outra coisa que vocês me aconselham a observar ?
Muito obrigado aos que me ajudarem
submitted by Heavy_Hammer to brasil [link] [comments]


2020.03.03 01:38 uanger Eu realmente não sei o que vai acontecer comigo

Não sei se eu to dramatizando toda a situação ou sla .
Eu tenho uma família merda que não me reconhece por nada que eu faço , e nem se quer falam obrigado quando faço algo para eles ,alem de serem total mentes conservadores e me impedem de fazer coisas que eu gostaria de fazer e quando faço algo que eles não aceitam eles me xingam ate não poder mais por coisas "banais" e eu fico realmente magoado com isso, no final eles nem devem se importar comigo .
Também tive poucos amigos na vida real , no máximo uns 2/3 que eu quase não falo com eles , tenho alguns virtuais e nossa amizade e legal ate , mas mesmo assim eu sempre me sinto solitário .
Sempre quis ter um holofote pra mim ser querido/ser amado por algumas muitas pessoas mas nunca consegui isso seja na arte que no máximo 6 pessoas viam o que eu fazia ou nos estudos onde não importa quão altas era minhas notas ninguém dava a minima pra mim nem pra perguntar sobre a matéria muito menos para conversar comigo , meio que me ignorando/excluindo de quase todas as maneiras possíveis .
Frequentemente eu sempre tenho duvidas de quem eu sou ou se eu tenho alguma personalidade propiá ( não quero aprofundar nisso ) .
A unica parte boa da minha vida é a minha namorada que sempre foi legal comigo , me tratou bem e sempre esteve disposta a me ouvir , sinceramente ela e o único motivo pra eu não ter me matado ainda não quero que ela fiquei triste , e valorizo mais ela do que eu já que eu sou um caso perdido mesmo .
Eu não sei o que vai acontecer comigo , tendo em vista toda a minha vida que tentei resumir nesse post , não sei se eu tenho algum problema psicológico já que meus pais se recusam a me levar a um psicologo porque nas palavras deles "´é coisa de doido" , eu não ligo quase pra mais nada , só não quero deixar ela triste é basicamente isso que me impede de fazer besteira .
submitted by uanger to desabafos [link] [comments]


2020.02.19 22:20 readyfortheplague Esperar pra crescer é o pior erro do homem que se diz maduro !

e todo mundo tem uma história pra contar
histórias sobre romance ! sobre equidade ! sobre felicidade ! mesmo que momentânea !
e eu me lembro dos meus melhores momento de quando eu era garoto
quando mais jovem ! ir jogar bola no colégio !
eu sempre gostei de ser goleiro !
o modéstia parte ! era muito bom
fui começando a crescer ! todo mundo da época foi parando de se falar
ficar na rua conversando era coisa rara! todos pareciam ter medo de alguma coisa !
e eu intervi na minha mente ! como forma de propagar pra mim mesmo algo que tivesse valido à pena ! eu sabia que estava ficando velho ! e que infelizmente estava ficando pra trás
tentei faculdade !
comecei a fazer artes marciais !
e tentar levar uma vida moderada
arranjei uma namorada ! era maravilhoso ! ela era maravilhosa
mas coisas acontecem !
tem sempre um olho pra julgar ! tem sempre uma meditação em cima disso tudo ! mas nunca !
eu disse nunca é uma coisa boa ! todo mundo escreve coisas que pode não parecer ! mas muda a vida de muita gente !
e eu fico vendo daqui é muito estranho !
e lembrando da minha rua ! das mesmas pessoas que pararam de falar comigo ! que tomaram rumos diferentes !
apareceram mais uma vez ! só pra importunar ! e finalmente eu fui capaz de ver !
que eu sempre estive comigo esse tempo todo
deixar coisas pra lá
tentar viver um novo amor ! eu disse amor ! não sintoma de mesa de bar ! essas bobagens !
coisa de alucinado que só pensa em meter pau na cana
e nada mais !
isso não é vida e nunca será
aí se acrescenta o fator de mimo e de mimimi e pronto ! se tem o perfeito idiota
e todo mundo quer é esse ! mas contanto que ele seja musculoso ou pelo menos rico !
mas ninguém ! todos estão com expressões tristes nesta maldita cidade
e eu me pergunto por quê ?
perder é tão ruim assim ?
todo que eu procurei enquanto estava mal ! quando estava na pior nunca vi nem sombra !
e até agora a sorte parece só favorecer aqueles que se prestam a mediocridade
e isso ! começando desse jeito !
pode ter certeza ! isso não dá certo !
eu sei ! se é difícil ou não ! qualquer coisa pra se apegar ! se apegar nessa história toda ! mas cada beijo é uma despedida !
e ninguém reparou que o dia de amanhã não tem como comprar o ontem
e é isso mesmo !
meu namoro terminou poque eu traí minha ex e contraí aids com essa outra menina !
porque até onde eu sei ! minha ex não tem ! ou pelo menos quando conversei com ela ! ela aparentou não se importar muito ! não se queixou ! e então quando traí minha ex eu usei caminha ! mas aquela maldita desgraçada tinha furado a porcaria da camisinha ! e a minha vida agora é lástima
e solidão ! eu sei que será
e disso você pode ter certeza !
submitted by readyfortheplague to desabafos [link] [comments]


2020.02.07 18:17 CoreDasAntigas Minha namorada fez uma arte pro Luba, porém ela não tem conta no Reddit, então eu tô postando aqui por ela. Twitter dela: @amandabosan2

Minha namorada fez uma arte pro Luba, porém ela não tem conta no Reddit, então eu tô postando aqui por ela. Twitter dela: @amandabosan2 submitted by CoreDasAntigas to nhaa [link] [comments]


2020.01.21 03:05 ExistencialConcept Saí das redes sociais

Eu entro em lapsos de querer deletar minhas redes sempre que eu fico infeliz com o jeito que eu cuido de minha vida. É um pensamento que mais tange uma válvula de escape, mas hoje eu realmente fiz, eu me sinto bem mas ao mesmo tempo tenho medo por ter feito isso.
Eu sinto que preciso aprender a lidar melhor com pessoas e comigo mesmo ao invés de mexer sem parar nas redes, isso tava acabando comigo, tanto com produtividade quanto por auto-estima. De qualquer forma eu me sinto inseguro por ter feito isso, mas quero que seja definitivo. Eu me sentia e me sinto tão medíocre e estagnado, todo avanço era colocado como troféu, e sempre ficava lá, toda vez me lembrando de algo que fiz como uma tentativa de ser uma obra suprema só pra ganhar alguns likes, tudo hiper estimado e banalizado ao mesmo tempo, todo turbilhão de informações, isso é horrivel.
Eu tenho uma namorada que ultimamente so tem twitter, e ela tem serios problemas de auto-estima, já tentou suicídio no seu passado e eu tento com todas as forças fazer ela se ver como uma pessoa digna a si mesma, mas as vezes eu acho dificil sendo que eu mesmo sou tragado por frenesis de tentar me satisfazer com pontos virtuais e toda essa corrida desgraçada por atenção. Eu tenho ela e eu tenho amigos próximos mas mesmo com isso tudo tenho medo de não ser notado se eu deletar minhas redes, e isso é idiota, e eu quero me provar errado, ou simplesmente apagar essa tentação besta de querer ser famozinho nas redes.
Acho deprimente falar dessas coisas, porque por mais que eu levante o ponto eu acho que sempre entro em fala de saber comum e que tudo que digo é foda se e que nada vai mudar pra ninguém.
Pelo menos eu acho que estou dando um passo em um caminho certo.
Talvez no futuro eu crie contas com algum objetivo especifico, pra promover alguma arte ou prestigiar arte.Mas pra promover a minha cara eu acho uma coisa muito triste, muito humilhante. Eu não quero me ver mais como mercadoria, e eu quero que os outros a minha volta não se vejam como mercadoria, e eu quero conseguir ter melhores conversas na minha vida, sem saber tudo pelas redes, sem escrever conversas e não ter o que falar pessoalmente com pessoas do cotidiano. Eu queria algo melhor.
submitted by ExistencialConcept to desabafos [link] [comments]


2020.01.14 08:38 LordCidus É um desabafo arrogante, mas foda-se

É um desabafo arrogante, mas foda-se
Nasci em um bairro merda e pobre da Zona Norte de São Paulo, numa família com grandes dificuldades financeiras, mas que nunca me faltou educação, zelo e amor de meus pais. A vida, nos aspectos materiais, sempre nos foi uma merda. Ralamos muito, com pouco sucesso, mas isso nunca nos tirou um certo orgulho que carregamos, de nos manter em pé, diante de tudo e de todos
Minha vida teve pontos altos e baixos, fracassos amorosos, tristezas e, ainda que entre eu, meu irmão e meus pais o relacionamento sempre foi do maior vínculo e amor, entre eu e meus tios e avós sempre sobraram desconfianças e hostilidades.
Não vou dar detalhes, mas sempre fui um rapaz bem inteligente. Tirava boas notas quando queria e sempre aprendi de tudo com a maior facilidade. De programação linear e algorítimos de maximização com aplicação para soluções industriais e financeiras até o conceito de methexis e mimesis como fundamento da teoria eidética em Platão, passando por noções de física, biologia, sociologia, história e artes. Minha memória é boa e isso me ajuda a estudar praticamente qualquer coisa, e sem precisar de muita ajuda.
Não que isso não tenha seu preço. Muita gente criou muita expectativa em cima de mim e isso atrapalha para um caralho. Entretanto, a grande parte das merdas que eu fiz foram erros meus, a responsabilidade maior de meus problemas é, claro, de escolhas insensatas que fiz, e que se fazem cobrar ainda mais quando você tem tanto conhecimento sobre tanta cosia. O peso do erro é dobrado
Mas a questão é que, tenho hoje uma ótima namorada, uma companheira, um amor pra vida mesmo, um relacionamento ótimo com meus pais e com meu irmão, minha empresa finalmente está começando a decolar e ter uma carteira boa de clientes, tenho minha casa que vou pagando o financiamento, meu carrinho e ao meu redor só os amigos DE VERDADE que passaram pelos meus piores momentos. No entanto, apesar de tudo isso, me sinto profundamente incomodado
Vou me isolando em uma espiral insana de conhecimentos diversos, experiências únicas e de uma trilha que vai me levando para o sucesso, ao mesmo tempo que me sinto completamente isolado. Tenho bons amigos mas, não consigo dividir minhas experiências de maneira satisfatória com quase nenhum deles. Mesmo minha namorada, que eu amo muito, por vezes parece que há um abismo entre nós.
Eu só consigo conversar tudo o que vai na minha cabeça com meu irmão. Parece ser a única pessoa com quem compartilho, de fato, o mesmo entusiasmo com os saberes e as relações entre os saberes. Sinto que esse distanciamento, fatalmente, vai ser a ruína de todas essas coisas boas que vivo, e de certa forma, me preparo para isso
Ao mesmo tempo que vou vendo meus pais ficando mais velhos surge essa geração nova que é, para mim, lastimável em quase todos os aspectos (pobreza cultural aliada a cacoetes mentais criou uma geração que, mesmo com toda a capacidade que a tecnologia moderna nos traz, se afunda em ideologias, depressão e uma total passividade diante da vida) . O isolamento é um destino que diante desse cenário me parece profundamente desejável
Mas não sei lidar bem com isso, essa é a verdade. O futuro me parece bem mais sombrio do que o presente, mesmo eu tendo uma vida promissora e até agora, aos trancos e barrancos, relativamente bem sucedida. De certa forma, não posso negar que esse futuro me traz certo medo, e uma certa sensação de que os dias melhores que procuro, na verdade, são os de agora
Estou cheio de possibilidades e de vontade, mas não vejo perspectiva e cada dia mais deixo no passado o gordinho extrovertido, nerd e risonho que costumava ser para me tornar um velho ranzinza e quieto. Não creio que isso seja a maturidade, porque não precisamos de uma carranca para assumir as responsabilidades da vida. Eu observo a minha realidade social e não tenho, simplesmente, a menor vontade de participar dela, ao mesmo tempo que sinto falta de algum grupo de eruditos com quem possa compartilhar conhecimentos sobre a tecnologia, matemática, ciências, filosofia, história, economia, assuntos correlatos bem como umas piadas sujas, conversas sobre carros, jogos, futebol e outras amenidades.
A verdade é que meus amigos, mesmo sendo bons amigos, verdadeiros mesmo, por força do trabalho e da rotina, vão perdendo o brilho da juventude e o interesse de estudar coisas novas, empreender em caminhos diferentes e isso vai me distanciando deles. As conversas de juventude sobre inovações, ciências, mulheres, jogos e carros vão ficando pra trás e no lugar vão se acumulando rotinas e uma mesmice bem entendiante
A velhice vem chegando, mas não me sinto velho, só que olho para os meus amigos, as vezes até minha namorada e essa geração nova e só vejo gente "cansada". Não posso negar que é frustrante, e, mesmo conhecendo tanta coisa, não sei o que fazer.
Enfim, é só um desabafo gigantesco e arrogante que não posso fazer o tempo todo.
submitted by LordCidus to desabafos [link] [comments]


2020.01.08 12:42 erikboy10 A vida é só uma rotina?

Eu tenho 16 anos, consegui um estágio muito bom num lugar legal, tenho uma namorada muito foda, meu relacionamento com ela é realmente foda, tenho um bom relacionamento com família e amigos, minha vida no geral está indo para algum lugar bom.
Mesmo com tudo dando certo, me deparo comigo triste e na merda de novo, eu não consigo ver um sentido para levantar de manhã, ou um sentido para manter conversas com a minha namorada, ou até motivos para continuar nessa vida, parece dramático, eu sei... Mas eu não aguento mais, não tenho ânimo nem pra jogar videogames. Sinto que estou virando só mais um no mundo, não me sinto nem um pouco especial como dizem que sou, não sinto mais vontade nem de fazer minha arte que é algo que amo fazer.
Pra mim desabafar na internet é extremamente difícil, já que nem com pessoas físicas eu converso sobre isso... Só resolvi fazer esse texto porquê preciso saber se a vida é só isso mesmo, acordar, se deprimir, dormir, repetir. Sinto que não tenho ninguém que me entenda pra conversar, e sinto também que estou me sabotando. Mas não consigo sair dessa.
Obrigado pela atenção :) (obs: realmente não sei como desabafar na internet, por isso o texto ficou um cocô)
submitted by erikboy10 to desabafos [link] [comments]


2019.12.30 17:50 canaican6 Minha namorada me encheu o saco pra eu criar uma conta no Reddit e postar essa arte que eu fiz

Minha namorada me encheu o saco pra eu criar uma conta no Reddit e postar essa arte que eu fiz submitted by canaican6 to nhaa [link] [comments]


2019.11.27 01:06 blancyago Achei que tinha acabado com minha vida. 9 meses depois, nunca estive tão feliz.

Há 16 dias meu filho nasceu. Eu estava junto com minha namorada a pouco mais de 1 ano quando descobrimos que ela estava grávida. Não somos tão jovens mais, eu tinha 26 e e ela 29 quando decidimos que íamos dar seguimento a gravidez. Eu estava no fim da minha segunda graduação e fazendo estágio na área de produção cultural, em um museu da minha cidade e como qualquer trabalho na área da cultura, ganhando bem pouco.
Eu nunca quis ser pai. Nunca me imaginei casado e com família. Minha mãe faleceu a 2 anos e ali, eu sentia que minha última experiência de acolhimento familiar havia sido enterrada também. Sempre tive a clareza de que se caso eu engravidasse alguma companheira minha eu seria o companheiro e o pai que eu não tive. Não tenho contato com meu pai por que durante anos ele não quis. Eu era dessas crianças que ficava esperando o pai na porta de casa do momento em que acordava até a hora de dormir e ele não aparecia. Simples assim. Aparecia 2, 3 dias depois e lá estava eu, pronto pra dar um abração no meu herói. Mas a gente cresce e vai ressignificando esses sentimentos. Ele não aparecia por que era agarrado no pó. Dizem por aí que é até hoje, não quero saber. Só sabia que eu ia ser pai sem saber o que era ser filho de um homem.
Eu trabalhava desde os meus 15 anos como designer gráfico e sempre dei meu jeito de sobreviver e ter minha independência. Minha namorada gozava da mesma liberdade, trabalhando em outra área, mas desde cedo assim, independente. A gente gostava demais da nossa vida de solteiro, morávamos sozinhos, cada um no seu apartamento e não tínhamos tido nenhum tipo de conversa que sinalizava qualquer vontade de morarmos juntos. Muito pelo contrário, exaltávamos nossa liberdade e independência sempre lembrando como cada um de nós ter seu espaço era saudável pra nossa relação. Fumávamos maconha de forma abusiva toda vez que nos encontrávamos e amávamos nossa vida assim, no conforto em que estávamos.
Eu sabia que não poderia me dar ao luxo de continuar trabalhando em um lugar que me demandava quase 10 horas de trabalho diário em épocas de abertura de exposição e ganhando o tanto que eu ganhava na época. Esse não era meu único emprego, sempre pegava um freela aqui e outro ali para pagar o aluguel e sempre tive a sorte de conseguir uns trabalhos que pagavam bem quando eu mais precisava. Mas com um filho não dava mais pra contar com a sorte. Precisei entrar em contato com meu antigo chefe e consegui um acordo para voltar a trabalhar pra ele remotamente, trabalhando de casa. Ele tem uma demanda surreal de trabalho e para poder fazer tudo de casa, aceitei um salário incompatível com a quantidade de trabalho que me dispus a fazer.
Era uma grana até ok, mas os clientes... É uma galera bem rica, que não sabe o que quer mas é cheio de desejos e demandas, sei lá, nunca devem ter ouvido NÃO na vida. Eu sabia que era assim, trabalhei 3 anos pra esse cara anteriormente, mas era o que consegui na época e eu sempre me lembrava que essa dor de cabeça vinha com o bônus de poder estar perto da minha namorada e futuramente acompanhar as primeiras etapas de vida do meu bebê.
Não mencionei isso, mas nunca estudei design gráfico formalmente. Sempre aprendi tudo “na tora”, de acordo com a demanda, fazendo. Sempre estudei em faculdade pública e minha segunda graduação era em Belas Artes. Sempre desenhei e desde 2015 descobri um amor incondicional pelo ato de pintar. Era uma forma de tentar transformar minhas piores experiências em algo palatável, não sei explicar direito. Sei que eu idealizava muito a profissão de artista. Eu era muito cabeça dura e achava que conseguiria entrar no mundo da “alta arte”, estabelecer contatos e viver disso um dia. Mal sabia eu o buraco que estava entrando... Conhecendo as “pessoas certas” vi que os artistas que mais ralavam para projetar seu trabalho, normalmente tinham uma ou mais fontes de renda alternativa. Fossem essas um trabalho formal, CLT, era funcionário público ou simplesmente tinha nascido em berço de ouro. Em família de artistas famosos, galeristas ou colecionadores de arte. Quanto mais eu respirava dessa atmosfera mais eu via que esse ar não era pra mim e esse contato influenciou, durante muito tempo, meu trabalho de forma negativa.
Aceitar esse trabalho significava também ter menos tempo pra minha produção em pintura. Eu via como um passo para trás na minha carreira de pintor e ficava muito puto ao pensar que tudo isso era por conta do vacilo de termos ficados grávidos.
Mas como eu disse lá em cima, eu tinha essa clareza de que eu seria o pai que eu não tive e o companheiro para minha namorada que minha mãe não teve. Então agarrei essa oportunidade com unhas e dentes. Rescindi meu contrato de locação e fui morar com minha namorada, que tinha o apartamento maior. Passamos a dividir tudo e conviver intensamente. Nos primeiros 2 meses de gravidez os exames de ultrassom apontavam para uma gravidez gemelar, ou seja, eram 2 sacos gestacionais. Ficamos super tensos. Não queríamos ser pais de um, imagina de dois.
No terceiro mês fizemos um exame que mostrou que só um dos sacos se desenvolveu e vimos também que seríamos pais de um menino. Descobrir isso foi um passeio nas nuvens... a partir daí fomos nos adaptando um a rotina do outro. Ela foi aos poucos cedendo seu espaço para eu entrar de fato na vida dela, e eu, sem querer chegar tomando um espaço que sempre foi dela, fui aos poucos me aconchegando nessa casa nova.
Demorou muito pra eu começar a ver minha namorada como família. A gente sabia que nosso filho crescia dentro dela mas tudo parecia virtual demais. Ele não tinha voz, peso, cheiro, nada. Nem nome.
A gravidez inteira foi tranquila. Nenhuma grande complicação durante a gestação. Isso nos deu tempo para conseguir juntar uma grana boa para o período do puerpério em que minha namorada não conseguiria mais trabalhar e nossa renda mensal cairia consideravelmente.
Eu conversava com a barriga. Tocava violão, cantava, falava do meu dia pra barriga dela. Fui desenvolvendo uma relação com esse ser imaginário e no fim da gestação eu já sabia que eu queria muito ser pai dessa criança.
Durante a gravidez fiz meu tcc em pintura e o dia de definir minha banca avaliadora se aproximava junto dos prováveis dias que nosso bebê ia nascer. Fiz todas as pinturas que iria mostrar ainda no primeiro semestre, mas comecei a me enrolar com a parte escrita. Trabalho, casa, bebê a caminho, pode escolher qual dos motivos convinha mais para eu não entregar o meu tcc.
Numa quarta feira a noite, minha namorada comecou a sentir contrações e a partir daí começamos a cronometra-las. Estavam espaçados e evoluindo devagar. Ela sentia muita dor e resolvemos ir para o hospital. Lá, descobrimos que é possível um trabalho de parto não evoluir. Ela chegou a 3cm de dilatação e assim ficou. Durante 5 fucking dias. Voltamos pra casa e ela ficava sentindo contrações de uma em uma hora. Íamos no consultório do obstetra todos os dias e nada da dilatação aumentar... estávamos tensos e cansados. No domingo seguinte, nosso médico pediu para que ela fosse internada e o parto induzido.
E as 10:30 da manhã do dia 10 de novembro, eu vi minha jornada épica começar e meu filho, Dante, nascer. Foi o momento mais lindo da minha vida. Nunca vivi nada tão intenso assim antes e ouso dizer que a sensação desnorteante que se sente quando se perde alguém é muito parecida com a sensação de presenciar uma nova vida começar.
Desde esse dia, não consigo tirar o sorriso do rosto. Eu e minha namorada(agora noiva) nunca estivemos tão felizes e conectados, agora com a clareza de que somos mais que companheiros, somos família. Nosso bebê é 100% saudável, muito bonzinho e até deixa a gente dormir! E sei lá, parece que os astros se alinharam, tudo tem dado muito certo pra gente. O parto da minha noiva foi normal e correu melhor do que a regra: não precisou de cortes, logo não precisou de pontos e não houve nenhuma laceração, o que está fazendo ela se recuperar muito melhor do que previmos.
Parei com a maconha desde a segunda metade da gravidez e nunca me vi tão produtivo. A qualidade do meu trabalho como designer aumentou muito e comecei a ter coragem de postar minhas pinturas no meu instagram sem o peso do “tudo ou nada” do artista, sabe? Como eu tenho um emprego que paga minhas contas e minha comida eu não me preocupo mais com essa coisa de ser um artista bem sucedido, eu pinto pelo prazer do fazer e isso tem feito um bem danado pra mim e pras minhas pinturas. Perdi a data de definir minha banca do tcc, ou seja, perdi meu ultimo ano na faculdade, certo? Errado. Minha orientadora me enviou uma mensagem hoje de manha dizendo para eu participar da exposição final das habilitações por que ela vai fazer uma carta oficial pedindo para a reitoria para que eu defenda meu tcc em março do ano que vem! É surreal, mas a vida agora tem outro sentido e tudo tem dado certo, sinto que virei um novo núcleo para minha família e para a família da minha noiva e essa sensação é boa demais!!
Vou me casar com a mãe do meu filho. Olhamos alianças ontem. Almejo agora a migração de área profissional, do design gráfico para UX design para procurar um emprego fichado assim que meu filho começar a frequentar escola/berçário e quero continuar pintando. Quero ensinar o Dante a pintar, tocar instrumentos, quero que estar do lado dele pra ver ele crescer e quero que ele seja muito feliz.
Escrevi demais e sinto que deixei de contar tanta coisa... Pra quem teve paciência de chegar até aqui, eu só agradeço por ler esse desabafo.
TLDR: a vida é muito doida.
submitted by blancyago to desabafos [link] [comments]


2019.10.27 15:40 xaviervieiraAV Oportunidade de fazer mestrado no UK.

Boa tarde,
Tenho 25 anos e estou licenciado. (Área da Administração/Ciências Sociais/Administração Pública) Sempre fui uma pessoa dinâmica e com bastante ambição tendo um percurso longo e participativo por todos os locais por onde passei. Apesar de tudo isto, encontro-me numa fase em que necessito de um novo desafio e sinto que o mercado de trabalho em Portugal não me está a dar a oportunidade que procuro. Após tentar perceber o state of art da minha geração apercebo-me de situações precárias na maioria das áreas científicas (até em engenharias) e de uma perspetiva de insatisfação generalizada face ao futuro.
Tenho uma boa conexão com a minha família e alguma estabilidade para tentar arriscar. (Não tenho namorada e apesar de ter um conjunto de amizades considerável, cada vez mais sinto-me menos preenchido e com receio de estagnar.)
Na semana passada tive uma reunião para conseguir perceber as condições para fazer um mestrado no UK... decidi colocar um limite de uma semana para tomar a decisão.
Admito que estou com uma grande tendência para arriscar e seguir um caminho totalmente diferente daquele que tinha idealizado.
Dariam algum conselho? Sabendo eu do quão pessoal é esta resposta mas entendendo perfeitamente que cada um terá os seus motivos.
Eu sinto que é o timing certo para tomar uma decisão destas...
submitted by xaviervieiraAV to PortugalLaFora [link] [comments]


2019.10.15 11:43 B34r_w1th_m3 Eu queria ter sido piloto

Peço perdão pelo tamanho, não esperava que fosse ficar tão grande.
Eu queria ter sido piloto...
Dois anos e meio atrás eu estava meio à deriva no mundo. Estava no segundo ano ensino médio e não sabia exatamente o que fazer da vida. Não me sentia pertencente a nenhum lugar, não tinha exatamente planos pro meu futuro, meu relacionamento com meus pais ia de mal a pior e ainda por cima me metia em brigas.
Eu estava irritado com o mundo, mas eu não podia socar o mundo (embora com certeza eu tenha tentado, ficado com marcas nas minhas mão até hoje para me lembrar de não fazer mais isso). Queria desaparecer, me desintegrar. Me mostraram uma prova que teria para à Academia da Força Aérea e eu pensei "Vou me tornar piloto e voar pra longe de tudo e todos".
Me empenhei como nunca, estudei como um condenado para a prova que viria um Junho, porém houve um problema: eu me apaixonei. Me apaixonei pela aviação. Isso não estava nos meus planos, não era pra isso ter acontecido, mas aconteceu. Eu entrei em contato com esse mundo e me encantei. Ser piloto, ser militar, fazer algo que eu sentia que me deixaria completo. Eu agora queria virar piloto, piloto de resgate ainda.
Me apaixonei também por uma garota, algo que também não estava nos planos. Eu já havia amado antes, mas isso era algo diferente. Era algo que eu não consigo explicar exatamente até. Pra ser sincero eu não sei nem exatamente explicar como que essa mulher entrou na minha vida, só sei que um dia ela estava lá eu eu não queria que ela fosse embora. Melhorei por conta dela. Larguei a raiva, as brigas, as frustrações. Tentei realmente me tornar um homem melhor por mim, pelos outros e, especialmente, por ela.
Por muito tempo as coisas na minha vida estavam boas. Realmente boas. No dia de fazer a prova da AFA, passei pra segunda fase (algo que eu honestamente não imaginei que fosse realmente acontecer). Comecei a treinar para os testes físicos que eu teria de fazer para provar que eu estava apto para me tornar um militar. Apto para me tornar um piloto. Meu relacionamento com a garota ia ficando cada vez melhor. Eu não acreditava que existiam pessoas feitas uma para as outras, mas comecei a acreditar. Comecei a acreditar nisso, logo eu que sou a pessoa mais cética que conheço.
No dia de fazer os exames físicos, fui reprovado por ter queimado a linha de largada de uma das provas. Serei sincero com você, reddit, doeu ter sido barrado naquele ponto, especialmente por uma coisa tão boba quanto pisar numa linha, mas foi uma dor momentânea. Eu agora sabia o que eu queria da minha vida. Eu queria ser piloto, queria continuar esse relacionamento com essa mulher que sabe-se lá como eu tive a sorte de ter na minha vida.
Virou o ano e comecei novamente a me preparar para a prova que teria em junho. Estava confiante e determinado. Foram seis meses de preparo duro, mas que valiam a pena. Eu enxergava na FAB e na mulher meu futuro. Chegando em junho eu fiz a prova novamente. Saí da sala de prova confiante que havia conseguido passar pra segunda fase. Passado cerca de um mês saiu o resultado. Fui reprovado.
Eu não atingi a nota mínima em matemática para passar para a segunda fase. Quando fui corrigir minha prova com o gabarito oficial, havia contado que havia tirado mais do que o necessário para passar. Até hoje suspeito que cometi um erro na hora de passar o gabarito. Posso estar errado, porém. Talvez eu tenha ido pra prova confiante demais sabendo de menos.
Fiquei desesperado, já que minha mãe havia me dado somente aquele ano para passar numa faculdade. Eu não consigo por a opção "Aviação" num vestibular. Não sabia para o que prestar. Mas não havia problema, já que a mulher que eu amava ainda estava comigo. Decidi, depois de muito pesquisar e conversar com amigos e meu pai, prestar engenharia mecatrônica. Era uma área que eu me interessava, mas, honestamente, não me imaginava trabalhando com ela. Decidi fazer isso, mas eu ia tentar a prova da AFA uma terceira vez no ano seguinte.
Chegando o final do ano, época de vestibulares, a ansiedade dos alunos está no seu máximo. Muitos sentem a pressão desse sistema injusto. Uma competição brutal, se me perguntar. Eu, tentando focar no meus objetivos, não fui afetado muito por ela, mas minha namorada foi. MUITO afetada. Sua ansiedade despertou de uma forma esmagadora. Ela se viu no conflito entre prestar o vestibular para a área que ela amava e prestar para a área que achava que deveria fazer, já que arte não tem renda tão garantida assim. Ela não queria mais sair de casa, ver seus amigos e a mim, fazer antes as coisas que amava. Ela foi definhando. A mulher que eu amava estava se afundando num buraco que sua própria mente cavava. Me doía ver aquilo. Eu tentava ajudar, mas a melhor ajuda que eu consegui fazer era manter minha distância.
Não muito tempo depois que isso começou, ela admitiu pra mim que não me enxergava mais como uma pessoa que lhe causava prazer, mas sim como uma responsabilidade. Ela se forçava a falar comigo para não me magoar, mesmo que a ansiedade dela fizesse com que ela quisesse se isolar de todos os seres do mundo. Ouvir aquilo me feriu de uma forma que nada até hoje chegou perto de fazer igual. Já levei muitos socos, chutes, cortes e diversos outros tipos de ferimentos, mas aquilo fez algo comigo que me fez questionar minha própria existência.
Eu estava falhando em proteger a pessoa que eu mais devia proteger nesse mundo. Estava fracassando na minha única missão que realmente importava, que era fazer ela feliz. Eu era um fardo pra ela, uma responsabilidade que só aumentava os seus sintomas.
Sabendo de tudo isso, fiz a última coisa que eu pensei que teria de fazer: terminei com ela. Cada célula do meu corpo dizia para eu não fazer isso, que íamos conseguir passar por esse momento delicado. Mas eu sabia que não íamos. Eu era uma das fontes da tristeza dela. Ignorando cada parte de mim que protestava, terminei com ela para o próprio bem dela. Ela tinha que melhorar a qualquer custo, mesmo que esse custo fosse o nosso relacionamento.
As coisas só pioraram então. No início do ano seguinte, 2019, fui diagnosticado com uma espécie de diabetes. Isso significava que mesmo que eu passasse na prova escrita da AFA eu seria reprovado nos exames médicos. Meu sonho de ser piloto se foi. O futuro que eu havia sonhado por um ano e meio se foi. A mulher que eu amava e as minhas asas. Talvez eu tenha sonhado demais. Talvez eu tenha sido Icarus e voado perto demais do sol e me queimado. Talvez eu podia ter evitado tudo isso se eu tivesse sido menos arrogante na hora de fazer a prova e se eu tivesse sido menos um fardo para a minha namorada.
Eu estava novamente perdido. O que que eu deveria fazer? O prazo imposto estava prestes a acabar. Tentei me recompor ao máximo e traçar um novo plano. Deixaria meu choro somente para as noites no meu quarto, porque de dia eu precisava trabalhar, pensar num novo rumo.
Passei pelo ENEM pra uma faculdade boa em outro estado para engenharia mecatrônica. Eu estava agora ficando com uma outra garota, porém nada tão intenso naquele momento quanto era com a minha ex. As coisas estavam tomando um rumo que havia potencial. Mas não era meu sonho.
Meses se passaram e cá estou, distante do estado de onde eu vim. Estou namorando essa nova garota faz um tempo já e as coisas estão indo muitíssimo bem. Eu estou gostando de fazer essa faculdade. Morar sozinho tem sido uma experiência fantástica. Fiz novos amigos e estou vivendo uma vida nova. Ainda assim eu ás vezes queria poder mandar uma mensagem pra ela e dizer "você ia amar o céu estrelado daqui", ou "eles rasparam meu cabelo no trote da faculdade!". Queria poder olhar para um avião no céu e não soltar um suspiro triste, pensando como a vista lá de cima deve ser bela.
Estou escrevendo isso, reddit, porque hoje descobri que ela está namorando um outro cara. Isso me abalou de início. Me senti injustiçado. " Por que que ele podia ficar com ela e eu não?" eu fiquei me perguntando por horas enquanto eu chorava em minha cama. Quando todo esse momento passou, eu pude refletir um pouco melhor. Estou feliz por ela, de verdade, até porque eu fui o quem seguiu em frente primeiro. Porém, o mais importante, isso mostra que ela está bem de novo. Bem o suficiente para confiar de novo em alguém da forma que ela confiava em mim. Isso é tudo que eu quero, que ela esteja bem. Devo admitir, porém, que, assim como eu invejo o piloto do avião, eu invejo esse novo cara. Tanto o piloto quanto ele tem uma vista muito bela diante deles.
submitted by B34r_w1th_m3 to desabafos [link] [comments]