Empregos para aspergers alto funcionamento

Viver com autismo é uma merda

2020.02.05 17:05 Aprendendo_Reddit Viver com autismo é uma merda

Não sei se a flair desabafo serve pra isso ou se eu posso postar isso aqui, mas não tenho muito a perder então aqui estou.


Estou aqui para desabafar a desgraça que é minha experiência de viver com autismo. Talvez de brinde ajude quem tem um familiar ou interesse de entender o que se passa na mente de uma pessoa como eu, um autista adulto que não deu muito certo.

Tive uma infância até boa, mais tudo acabou por lá. Minha última memória feliz foi aos 10 anos, e hoje já estou mais perto dos 30 que dos 20.

Recentemente tentei pela N° vez tentar em pensar em algo bom para me deixar otimista e criar esperanças e expectativas pelo futuro, até perceber que não tinha nada de bom à minha frente e também (quase) nada de bom no presente; também não tive nada que não me fizesse estar arrependido de não ter morrido nos últimos 15+ anos, fora alguns surtos psicóticos.

Aí pensei como a vida de um autista é uma merda, e eu teoricamente estou entre os melhores casos por ser alto funcionamento ou asperger. Elaborando no que eu acho que entendi por essa classificação: já que eu consigo conversar, isso já me faz ser considerado alto rendimento. Mas enfim.

Começarei falando pelas minhas conquistas nos últimos ditos 15+ anos antes de passar para os aspectos mais negativos.

- Aprendi a tomar banho todo dia, escovar o dente duas vezes e passar fio dental.

- Aprendi a comer pelo menos duas vezes ao dia se tiver e fazer minha própria comida com certa frequencia.

- Aprendi a me exercitar um pouco para ser um pouco mais saudável e não ser pele e osso.

- Aprendi a me comunicar bem por texto e de maneira quase aceitável em pessoa.

- Aprendi que eu tenho autismo, diagnóstico que só veio depois que não era mais criança.

- Sobrevivi mais do que eu esperava, sou horrível em me matar apesar de ter tentado mais de uma vez.



Mas foram as únicas coisas eu consegui.



Eu moro em cidade grande (Brasília) e quase não consigo sair de casa durante o dia sem desejar morrer ou às vezes realmente surtar. Aprendi recentemente que isso se chama sobrecarga sensorial e todo mundo no espectro tem. No meu caso os barulhos, o movimento, as luzes, as pessoas e às vezes até os cheiros; tudo isso e mais algumas coisas que fazem minha vida ser um inferno que eu não sei descrever para quem não sente o mesmo.

Em grande parte pelo aspecto acima, tenho muita dificuldade social. Não fiz ensino médio e não terminei o fundamental por não conseguir manter a presença necessária, apesar de sempre ter notas ótimas. Não consigo ficar estável por muito tempo lidando com grupos grandes de pessoas, e tenho pavor de festas ou quaisquer lugares que aglomeram muita gente.

Mais no fato de não conseguir me socializar, eu sei que muitos no espectro conseguem aprender, mas eu não consegui. Eu não gosto de falar quase nada, com frequência sofro pra sair até em grupos pequenos (pelo menos quando ainda saia), não sei me comunicar bem falando e detesto quaisquer mentiras e conversas indiretas, o que é o jeito que basicamente todo mundo se comunica.

Não tenho amigos fora da internet, até porque não tenho meio social nenhum e não tenho como conhecer ninguém.

Indo para outro assunto, não consigo ser funcional como a maioria das pessoas, tenho dificuldade em quase todas as funções necessárias pra isso. Não consigo ter estabilidade mental ou motivação de fazer quase qualquer coisa. Demoro muito tempo me remoendo para conseguir tomar banho todo dia, geralmente preciso me "preparar" mentalmente e me concentrar por horas, e isso vale para quase tudo. É o mesmo para cozinhar, para fazer uma ligação. Tenho muita dificuldade com coisas do dia a dia que quase todos conseguem.

Eu sempre vivo preso dentro de uma jaula na minha própria cabeça e sinto como se tivesse interação muito limitada com o mundo. Não consigo interagir ou reagir bem as coisas que acontecem ou até controlar meu corpo como eu desejo. Também não ajuda que os pensamentos obsessivos e as vozes nunca me deixam em paz e começam a me atormentar no momento que eu não consigo me distrair com alguma coisa.

Eu estou completamente isolado da sociedade se não contar a minha família. Não consigo pensar em nada que seria capaz de trabalhar a essas alturas, fora ajudar minha família em uma coisa ou outra nos meus dias menos ruins. Não consigo fazer faculdade por conta da minha sensibilidade sensorial,
dificuldade social e instabilidade. Não faço amigos desde que eu era criança, quando era mais fácil. Não consigo achar algo pelo que viver ou nada com o que me distrair, apesar de minha família dizer que seria destruída se eu me matasse.



Mas não sei mais o que fazer. Eu tenho passado quantias enormes de tempo imaginando uma vida comum para distrair minha cabeça, mas não acho que tem ajudado. Só que sinto inveja de pessoas no espectro que conseguem superar as coisas melhor do que eu e obviamente de pessoas "normais". Só que eu estou sofrendo muito, e tolerar isso é tudo que foi minha vida por mais de 15 anos.



Eu queria ter tido uma adolescência comum, ter feito amigos, ter me apaixonado, ter estudado e aprendido mais.

Queria uma juventude normal, fazer faculdade ou arranjar um emprego, ter alguma independência e uma cabeça relativamente quieta e funcional.

Queria memórias boas pra eu me lembrar e pensar que pelo menos valeu a pena o sofrimento que eu passei e ainda passo.

Queria saber me expressar direito para alguém entender o que eu estou sofrendo e ter alguém para abraçar.

Queria poder morrer com dignidade nessa sociedade que exclui quem não consegue se adaptar e que não deixa eutanásia ser legalizada.



Sei que boa parte da minha situação é consequência de eu ser assim. Mas eu não queria ter nascido assim. É bem possível que eu estou sendo mimado e querendo demais da vida, mas a vida das pessoas neurotípicas parece bem menos merda de maneira geral.

E sim, já fiz tratamento psiquiátrico, terapia, tentei X remédios e ajudou bem pouco. Acho que o único lado positivo disso tudo é ter uma família com dinheiro o suficiente para eu não passar fome e ter tentado tratamento, apesar de não ter dado muito certo.



Também esqueci de boa parte do que ia escrever, mas se alguém se deu ao trabalho de ler isso já estou satisfeito.

TL;DR: Viver com autismo é um inferno em minha experiência, e gostaria que eutanásia fosse legalizada.

Não sei se esse post ajudou em algo, mas pelo menos tentei.

EDIT: Obrigado pelas respostas e a quem tentou me ajudar. Boas idéias do povo daqui e algumas coisas novas que eu aprendi já valeu o post pra mim! Só falta algum tempo pra eu processar tudo agora haha.
submitted by Aprendendo_Reddit to brasil [link] [comments]


2019.05.16 04:22 Westbryn Sobre o motivo pelo qual eu escolhi o suicídio

Cresci em uma família extremamente verbal e fisicamente abusiva. Por exemplo: 1- quando tinha quatro anos meu pai e bateu tanto que minhas pernas não sustentavam meu peso de tanta dor que sentia. 2- quando tinha uns oito anos meu pai quebrou um cabo de vassoura em meu joelho porque eu estava rindo muito de algo na tv. Sim, em casa não se podia rir demais. Ele também batia se chorasse, mas não para dar motivo para chorar e sim para parar. Se continuasse a chorar depois da surra, era mais espancamento. Até hoje tenho uma raiva irracional quando vejo alguém chorando. 3- Aos meus doze anos ele tentou me ferir com uma faca e minha irmã teve de intervir. Também aos meus doze anos, minha mãe saiu de casa levando minha irmã e me deixando naquele inferno. Ela nem se quer perguntou se eu queria ir com ela.
Teve muito mais, mas se eu disser tudo o texto fica mais grande do que já é. A última vez que ele me bateu eu tinha dezesseis anos, ele me jogou no chão e me chutou no estômago o tanto que quis, enquanto me ameaçava de morte. No outro dia fui expulso de casa. Passei alguns meses com minha mãe até conseguir emprego e assim pagar um apartamento minúsculo. Claro que nesse meio tempo o conselho tutelar foi chamado, mas, adivinhe, o homem que chegou para ver a situação era amigo próximo do meu pai e tudo foi varrido para debaixo do tapete.
Sempre fui racional. Desde os onze sofro de depressão crônica. Minha depressão não tem episódios. É todo o tempo. E desde esse tempo eu decidi pegar dez anos da minha vida e tentar de tudo. Terapia, psicólogos, psiquiatras, remédios de todos os tipos, mas até hoje não deu em nada. E como eu tentei. Hoje tenho vinte e três anos e os dez anos já se passaram.
Muitos dizem que abuso emocional é pior que físico, mas tenho de discordar. Abuso físico vem de mãos dadas com abuso psicológico. O toque sempre foi muito pessoal para mim. Talvez por eu ter autismo de alto funcionamento (antiga síndrome de asperger). Até hoje meus músculos são perpetuamente tensos como se meu pai a qualquer momento fosse me espancar. Eu tentei. Não consigo lidar com meus traumas. Não posso mais. No meu primeiro pensamento suicida eu racionalizei e peguei uma década de minha vida para tentar melhorar, mas não consegui. Não há nada para mim. Não tenho futuro. Não posso viver nesse inferno.
....
Obrigado a todos que responderam. Continuo com meus planos, apesar de ter lido e considerado cada opinião, em especial as que não citam religião. As vezes vidas terminam assim. Não estou triste por mim mesmo. Encaro tudo como um fato. Atualmente ainda estou em meio a tratamentos psiquiátricos e terapia, mas como sempre, o resultado não é positivo. Ainda tenho contato com meus pais. Minha irmã e irmãos mais velhos os ignoram ao máximo, e sobra para mim ter de carregar tudo nas costas, cuidando deles, pois já são praticamente idosos. Gostaria de seguir a regra do "sem contato", mas não tenho em mim para deixar duas pessoas velhas sem assistência. Vou tirar uns meses, quem sabe até o final do ano, para resolver pontas soltas, e assim seguir com o que quero. Sei que depois disso vou ser julgado de egoísta, mas quem na vida não é assim? Agradeço aos comentários.
submitted by Westbryn to desabafos [link] [comments]