Como se comportar namoro

Parece que minha vida está ruindo

2020.07.30 22:26 Tecnology14 Parece que minha vida está ruindo

Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Minha história é longa e complexa, então vou dividi-la em sete partes.
Para começar, minha família, principalmente minha mãe, são um tanto abusivos, porém nunca percebi isso, pois antes de fazer meus 20 nunca tive contato com o mundo externo. Pois é, eu estudei em escola pública, me relacionei com outras pessoas, mas nunca fui incentivado a correr atrás das coisas, e nunca tive uma demonstração de confiança da minha família dizendo que poderia contar com eles. Minha mãe sempre conduzia conversas desconfortáveis querendo saber tudo sobre minha vida, e aconselhando, de uma maneira que não me deixava confortável, sobre o que fazer, porque meu pai era passivo. Pelo meu pai ser passivo, ela ficava muito frustrada e transferia essa frustração para a gente. Quando questionada, ela inventava justificativas sem pé nem cabeça para o que fazia. Tive algumas brigas com ela, e muitos desacertos. Ela me bateu por conta de guarda roupa bagunçado, porque ela vigiava meu guarda roupa. Me proibiu de certas coisas por conta do meu desenvolvimento, e acabou que me tornei um rapaz medroso, tímido, com desenvolvimento atrasado. Vida sexual? Iniciei com 20 anos apenas. Vida amorosa, só agora aos 23. A igreja logo se tornou um fardo, pois a gente ia, mas tínhamos que nos comportar da maneira que ela dizia que era o ideal. Aprendi a tocar violão, virou um prazer, mas a igreja também é abusiva, logo se tornou um desprazer que eu saí, que logo depois disso, as cobranças para voltar começaram em casa também. Minha irmã sempre apoiou o que ela dizia incondicionalmente. As fofocas dela contra a gente sempre existiram, do tipo, se contassemos algo para ela, ela saia espalhando por aí, ao ponto de humilhar-nos e expor nossas intimidades.
Depois disso, vi uma pontinha do mundo exterior, quando comecei a me abrir para ele. Fiz amigos, conheci pessoas, me forcei a falar com pessoas, porque eu sou do tipo que não puxava assunto, mas ainda era socialmente inepto como sou. O controle da minha mãe dura até hoje. Conheci uma pessoa com o qual quase tive um relacionamento que achava o meu relacionamento com a minha mãe algo totalmente fora do comum, porque eu não ia nos lugares que eu tinha vontade por medo da minha mãe proibir, por medo dela achar ruim. Percebi que eu cresci com medo, e por conta disso essa pessoa foi embora da minha vida. Conheci um dos meus melhores amigos, e até hoje ele me fala isso, pois vivenciou situação parecida. Talvez eu tenha perdido grandes acontecimentos na minha vida por medo. Mas isso mudou...
Conheci uma pessoa maravilhosa, com quem eu namoro hoje em dia. Abracei um pouco a mudança e sai da minha zona de conforto. Pela primeira vez me arrisquei a não ligar para o que falavam comigo ou do que iriam pensar. Vivo momento incríveis com ela e sei que é o tipo de pessoa que tenho que manter por perto por toda a vida. Mas tenho que inserir aqui uma comparação: se as discussões, brigas, repreensões, abusos haviam comigo, se tornaram piores depois que comecei a namora-la, ela já quase desistiu de namorar comigo por conta da marcação da minha mãe e minha irmã. As coisas foram melhorando um pouco em relação a ela, mas minha mãe continuava pegando no pé, e como ela bebia, as coisas eram ainda mais piores. Bêbados são uma merda e falam coisas sem pensar.
Minha mãe virou uma pessoa insuportável depois que começou a beber, falava coisas e não tinha filtro. Afirmava coisas das outras pessoas que ela nem sequer sabia sobre. Meu pai não aguentou, e foi ficando cada vez mais distante até que um certo dia, no primeiro dia que comecei em um novo emprego, ele saiu de casa e não quer mais saber da minha mãe. A vida pra ele melhorou muito, mas essa separação colocou os holofotes todos em mim. Uma vez que ele saiu de casa, minha irmã saiu também para prestar residência médica.
Depois que meu pai saiu de casa, minha mãe começou a ir na igreja novamente e parar de beber. Mas eis a questão, minha mãe já era uma pessoa insuportável antes de beber, e agora que eu namorava, toda semana eu tinha que ouvir falar mal da minha namorada e foram episódios que cada vez mais foram se intensificando. E eu era julgado por querer passar mais tempo com ela. As coisas ficaram ruins de novo a ponto do meu relacionamento quase ruir, de ela querer controlar até quais dias da semana eu passava com ela e falar mal dela na minha cara. Já não bastava quando eu estava presente.
Nessa terça não aguentei. Já estava muito chateado com toda essa situação e minha namorada a ponto de terminar. Foi só minha mãe vir falar comigo de novo, que daí eu estourei. Falei tudo que estava sentindo, porém foi violento e foi uma cena terrível de ser vista e vivida. E a casa enxurrada de palavras no rosto da minha mãe descia uma cascata de lágrimas. Eu estava com muita raiva no momento. No final de tudo, ela se vitimizou, perguntando porque eu estava fazendo aquilo com ela, me chamou de cobra e me mandou sumir ou ela sumia. Fui deitar naquela noite totalmente entorpecido, quando ela teve um surto psicótico de regredir ao momento que eu nasci. Esse surto durou uma hora, mas foi o suficiente. A nora de quem ela tanto falava mal foi a primeira a chegar para me ajudar.
Ela acordou no outro dia péssima, e não quer mais falar comigo. Eu disse tudo que precisava dizer, mas me enchi de culpa e de remorço das coisas que eu precisava dizer. Minha vida com ela está ruindo e acredito que as coisas possam não voltar ao normal, e acredito que não há lado positivo nessa situação difícil.
submitted by Tecnology14 to desabafos [link] [comments]


2018.12.23 18:20 edesio11 Não tenho motivos para continuar vivendo

Estou desabafando pra vocês pois acho que preciso de ajuda, nunca comentei nada sobre isso com ninguém.

Tenho 19 anos. Quando pequeno, sempre fui um garoto caseiro, jogava muito videogame então raramente saia com uns amigos, sempre fui tímido também. Com o passar dos anos, a falta de contato com eles e minha timidez me afastou um pouco da sociedade, enquanto o pessoal se divertia eu sempre fiquei em casa, então a partir dos 14, 15 anos, o pessoal foi se divertindo, começaram a namorar, perderam a virgindade, e eu continuei a mesma criança de sempre, hoje estou prestes a fazer 20 anos, ainda BV, não sei me comportar como adulto com mulheres e amigos, tenho vergonha de sair por causa disso, até tenho amigos, sei que sou visto como uma pessoa legal, "gente boa", mas ao mesmo tempo todos me veem como um fracassado, que ainda é virgem, não sai com amigos nem nada.. Meus únicos amigos próximos hoje são uns amigos do meu estágio, todos sabem que sou virgem/BV, pois eu brinco com isso e falo como se não eu não ligasse pra isso, mas no fundo penso nisso todos os dias.. Basicamente tenho vergonha de sair de casa porque não sei viver na sociedade, não tenho experiências legais pra dividir, o pessoal começa a conversar sobre namoro, sexo, e tal e eu já me sinto mal, pois não tenho o que falar.. Hoje eu só saio pra trabalhar e fico em casa o dia inteiro, fico no pc jogando, assistindo vídeos, ouvindo música, mas já estou enjoado de tudo isso, me deito várias vezes ao dia por tédio, pensando em como joguei minha vida no lixo. Ano passado entrei em uma faculdade, mas saí no começo desse ano. Desde o ensino médio, eu parei de apresentar seminários, mesmo ficando sem nota, pois eu tinha vergonha de falar em público por ter vergonha, não só a vergonha de falar em público, mas a vergonha de mim, como pessoa. Eu sabia que não ia conseguir fazer tcc por esses motivos, e também não me identifiquei com o que escolhi, por isso saí. Mas não me desmatriculei pra poder continuar no estágio. Faço estágio em uma escolinha infantil, o que foi uma experiência espetacular pra mim.. Me apeguei muito as crianças, e isso me motivou bastante.. E eu me divirto bastante com o pessoal do trabalho.. Está tudo meio confuso na minha explicação, acredito.. Eu faço amizades fácil, me divirto com os outros estagiários e funcionários da escola, brinco bastante, (tirando um dos estagiários, são todos acima de uns 28 anos.) Todos me consideram bastante, mas todos sabem que sou aquela pessoa virgem, que não sai de casa, acredito que imaginam que sou depressivo e tal.. Sei lá, eu to escrevendo tudo que vem na minha mente, o que eu penso eu escrevo, talvez esteja repetindo algumas coisas ou sei lá.. Enfim, agora estou de férias, então eu to todo dia em casa sem fazer nada, tento escapar as vezes, ir na casa da minha mãe e o marido dela, mesmo não gostando muito dele, tudo pra escapar dessa minha solidão.. Estou sem ambições, acredito que nunca vou ficar ou namorar com ninguém, também não tento pois tenho vergonha de não saber beijar, transar.. Não tenho vontade de fazer faculdade, por vergonha de conviver entre os jovens sendo quem sou, também pelo motivo do tcc, que sei que não vou conseguir fazer.. Não tem algo que me motiva a viver, as vezes tenho medo de isso tudo piorar e eu ter coragem de cometer suicídio, não quero fazer isso pois eu penso na minha família e sei como ela ficaria mal com isso, sei que se isso acontecesse poderia deixar meus pais depressivos e tal, não sei.. Como diz a música do supercombo, estou vivendo no "piloto automático", só fazendo o que tenho que fazer sem nenhum motivo pra viver. Sei que isso tudo pode parecer frescura, mas eu realmente estou mal e sinto que estou perdendo minha vontade de viver.
submitted by edesio11 to brasil [link] [comments]